7 de setembro de 2016

♥Unknown - Cap - 23♥

Imagem de morning and me

Antes

Desligo o telefone e sinto lágrimas inundarem meus olhos. Como Zayn pode ter uma mente tão fechada? Como pode implicar de tal maneira com o Will? Eu jurava que passaria a noite toda pensando nessa conversa, mas por incrível que pareça, logo peguei no sono e dormi. 

Agora

Segunda-feira 16:30hrs

             Era o meu primeiro dia de trabalho no boliche e me sentia tremendamente animada apesar de tudo o que aconteceu. Quero dizer, a briga com Zayn. Faltam três dias para o natal e ele não me ligou desde a nossa última conversa -discussão- e me sinto péssima por não saber se ele chega a tempo. Coloquei meu uniforme de trabalho e joguei um grosso sobretudo por cima pra espantar o intenso frio de dezembro. Um cachecol envolta do pescoço e voilá, estava pronta. Peguei minha bolsa e fui ao encontro de Lena que ainda não tinha sequer tomado banho.

- Você não ta pronta? -pergunto.
- Ham... -ela checa o relógio de pulso- No meu relógio é 16:40 e o boliche só abre às seis então, acho que você se adiantou.
- Sim, mas eu pensei que fôssemos pra você me explicar algumas coisas...
- Qual é o segredo em anotar pedidos e depois levá-los até a mesa certa? Você aprende com cinco minutos. Estaremos lá 17:50. Porque não liga e fala com Zayn enquanto isso?
- Eu... Não sei se devo...
- Por que não?
- Tivemos uma discussão antes de ontem e desde então ele não me ligou, acho que não quer falar comigo.
- Discutiram o quê? -ela pergunta curiosa- Oh espera! É sobre você trabalhar no boliche?
- Exatamente! Por que ele tem que ser assim?
- A especialista em homens não sou eu. -ela encolhe os ombros.

               Suspiro pesadamente e me jogo no sofá.

- Mas se quer saber, -ela continua- o Zayn gosta muito de você, mesmo. Você devia ligar.
- Eu não sei...
- Se não quer ligar por ele, então ligue por si mesma. Você fica péssima quando estão brigados. 

             Então ela se levanta e sai em direção ao banheiro. E eu, fico sentada ainda pensando se devo ou não liga pra Zayn enquanto as palavras de Lena fazem um coro em minha mente. Então pego o celular e ligo, com o coração na mão e sem saber ao certo o que vou falar quando ele atender, mas ligo. Só que não foi preciso me incomodar muito porque ele não atendeu. Ele não atendeu! Enfio o celular de volta na bolsa e não sei se fico brava ou preocupada. Decido pela primeira opção e concentro toda a minha paciência em esperar Lena terminar de se arrumar.

[...]

               Chegamos no boliche exatamente às 17:50 da tarde, entramos pelos fundos pois Will ainda não tinha aberto as portas da frente. Tirei meu sobretudo, pois o lugar era repleto de aquecedores e coloquei em uma salinha que era exclusiva para os funcionários. Lena me explicou tudo o que eu precisava saber e começou a me arrastar para conhecer o pessoal da cozinha.

- Esta, é a nossa garota das bebidas! -ela fala animada me apresentando pra uma menina alta e esguia com uma cabeleira preta e pele morena. Linda!
- Sou Betty. -ela sorri e estende a mão pra mim.
- (Seu Nome).-retribuo o sorriso.
- Este é Colton, o carinha que faz os melhores hambúrgueres da cidade! -Lena diz.
- É um prazer te conhecer Colton, sou (Seu Nome). -dessa vez eu estendo a mão e sorrio.
- O prazer é todo meu. -ele pega minha mão e deposita um beijo me surpreendendo.
- E, esqueci de dizer, o maior tarado de toda a cidade também. -Lena acrescenta e todos rimos.

               Ela me apresenta pra mais duas pessoas e então para colocando as mãos em meus ombros e olhando fundo em meus olhos.

- Agora vou te apresentar ao chefe da cozinha, não olhe nos olhos dele ou poderá se perder para sempre, acredite, eu fiz isso e ainda tremo só de pensar naquelas mãos em meu corpo. E também não sorria pra ele, nem olhe quando ele estiver sorrindo, pode ser fatal! -Lena fala tudo rápido e muito séria, o que me faz rir.
- Ficou louca? -continuo rindo.
- Fiquei! E você também vai ficar se não seguir esses conselhos que dei. Acredite, o chefe é quase um kriptonita! E aqueles lábios... Deus... Se chegarem a encostar em sua boca pode ter certeza que não verá o outro dia nascer.
- Você já conheceu os lábios dele? -pergunto.
- Todas que trabalham aqui já conhecerem! E não foram só os lábios que conhecemos...

Resultado de imagem para gifs miley cyrus

- Lena! -dou risada do modo como ela fala.
- Que é? O cara é divino! Sério, quando você experimentar vai saber do que estou falando.
- Eu não vou experimentar nada! E você sabe disso.
- Ah claro, porque você está totalmente na do Zayn. -ela revira os olhos.
- Não é só por isso...
- Ta ta, você vai negar até a morte, vamos logo.

                Ela me puxa pelo braço e nos aproximamos de um homem largo nos ombros, alto e cabelos pretos. De costas pra nós, mexendo em algo na cozinha. Lena o chama pelo nome de Carlos e ele se vira. Os olhos de um verde lindo e a barba por crescer, Carlos nos recebeu com um sorriso muito bonito, mas de jeito nenhum fez minhas pernas tremerem como o Zayn conseguia fazer só com uma piscada.

- Esta é (Seu Nome), hoje é o primeiro dia dela aqui com a gente. (Seu Nome), este é Carlos, o chefe da cozinha.
- É um prazer te conhecer Carlos. -sorrio.
- Eu digo que o prazer é todo meu. -ele me encara e eu encaro de volta.
- Então, vamos ao trabalho né?! -Lena declara e me puxa de volta para o salão principal.

               Ela me dá uma caneta e uma caderneta e fica me olhando com uma cara engraçada.

- Que foi? -pergunto.
- Você ignorou todos os conselhos que eu falei.
- É, e não aconteceu nada do que você disse que aconteceria.

Resultado de imagem para gifs lucy hale

- Você tem problema. -ela declara e sorri.
- Olha quem fala! -retruco.
- Bom, preparada pra atender sua primeira mesa? Os primeiros clientes da noite estão chegando.
- Preparada! -falo animada.
- Então vai lá, vou ficar olhando daqui.

               Respirei fundo e caminhei em direção à minha primeira mesa. Era um casal muito bonito e os dois me receberam com um sorriso, o que me encorajou e tranquilizou ao mesmo tempo. Anotei o pedido dos dois e levei até a cozinha, e assim que ficaram prontos, me encarreguei de levar até a mesa deles. Parece que fiz isso a vida inteira de tão fácil que foi.

- Você se saiu muito bem! -Lena disse logo que voltei da mesa.
- Você acha mesmo? -pergunto animada.
- Parece que fez isso a vida toda!
- Foi exatamente o que eu senti! -concordo.
- Bom, bem vida à família! -ela sorri e eu agradeço.

               Sabe aquela sensação de que você finalmente está fazendo algo certo e útil em sua vida? É exatamente como estou me sentindo agora! Parece que pela primeira vez na vida estou finalmente encontrando o meu caminho e no lugar certo! Assim como a unica coisa boa quando se está no fundo do poço, é que só tem como melhorar, a única coisa ruim em se estar tão bem e feliz, é que sempre vai ter algo pra te deixar pra baixo de novo. Só espero curtir minha felicidade por um bom tempo...

Demorei mas postei de novo. O próximo vou tentar postar mais rápido, prometo.Amo vocês! -Deh♥


12 de julho de 2016

♥Unknown - Cap - 22♥

Imagem de legião urbana and music

Anteriormente



            A tarde com Clarke foi melhor do que eu pensei que seria. Nos divertimos muito e eu acabei por ganhar a aposta quando o fiz experimentar o sorvete de flocos. Ele ficou tão animado com o novo sabor que mandou entregar um quilo em seu apartamento. Acabamos por nos dar tão bem que eu tive a certeza de que seríamos muito amigos. Estava combinado! Eu o ajudaria com os pais, e ele me ajudaria com Zayn, fim de papo!

Agora

(Seu Nome) P.O.Vs

                 Depois da tarde super divertida com Clarke, pedi que ele me deixasse no boliche que de lá eu daria um jeito de ir embora sozinha. Ele concordou, com a condição de que se eu não conseguisse uma carona ligaria pra ele me buscar. Adentrei o boliche e logo avistei Lena limpando uma mesa. Acenei sorrindo e ela veio ao me encontro com uma expressão engraçada no rosto.

- Pelo visto o encontro foi bom hein?! -ela meio afirma e meio questiona.
- Ah realmente! -concordo- Foi maravilhoso.
- Ah eu sabia!
- Tirando a parte em que ele estava me usando assim como eu fazia com ele.
- O quê? -ela fica confusa.
- Eu conto a história toda quando chegarmos em casa, mas agora, preciso conversar com Will sobre o emprego.
- Oh é mesmo, eu havia me esquecido completamente. Ele está naquela sala, logo ali. -ela aponta.
- Obrigada Lena, eu volto pra falar com você.

                  Fui em direção à porta que Lena mostrou e dei duas leves batidas. Estava nervosa. E se ele dissesse não? Quero dizer, eu sobreviveria a isso óbvio, mas ficaria muito chateada. Quando Will abriu a porta, obriguei-me a parar de pensar que não daria certo e sorri. Will parecia surpreso em me ver ali mas mesmo assim sorriu e foi o primeiro a falar:

- Oi. -ele sorri ainda surpreso- Que... Surpresa ver você por aqui.
- Pois é. -tento sorrir- Você está ocupado? -pergunto.
- Ocupado? Não não, entre por favor. -ele faz sinal pra que eu entre e assim faço.
- Eu gostaria de ir direto ao ponto. -falo.
- Ham... Por favor. Fique a vontade.
- Lena me disse que você está precisando de outra moça pra trabalhar aqui e eu pensei que talvez você pudesse me contratar. -minha voz soa vacilante.

              Will me fita por um instante parecendo assimilar minhas palavras e então pergunta:

- Zayn sabe sobre esse plano de trabalhar aqui?
- Não, por quê? -questiono.
- Você sabe que ele não gosta de mim, então obviamente não gostará que você trabalhe aqui.

                Até aquele momento eu não havia pensado no que Zayn acharia sobre trabalhar ali, mas porque isso era tão importante pra mim? O Zayn não é o meu dono e não pode decidir a minha vida, a primeira lição que Lisa me deu para conquistá-lo é a de que homens gostam de mulheres independentes, e era isso que eu queria ser. Em toda a minha vida, nunca tive essa oportunidade, agora era a minha chance.

- Acontece que o Zayn não tem nada haver com isso, a escolha é minha. -falo para Will- E você? Tem algum problema com os gostos de Zayn?
- De maneira nenhuma. -Will responde- Não me importo com a opinião de Zayn.
- Então não há discussão sobre isso.
- Tudo bem. Você tem alguma experiência? -ele pergunta.
- Sim! No meu antigo emprego eu servia a realez... -obriguei-me a parar no meio da frase e fingi uma tosse.
- Você está bem?
- Sim sim. -respondo- O que eu estava tentando dizer é que no meu antigo emprego, eu servia em um lugar muito chique, para ricos. Eu estou acostumada a trabalhar muito!
- E quando você pode começar? -ele pergunta meio desconfiado.
- Hoje mesmo se você quiser! -falo animada.
- Que tal na segunda-feira? -pergunta.
- Segunda-feira é perfeito! -me seguro pra não pular e bater palmas.
- Então estamos combinados. Você começa segunda-feira.
- Meu Deus! Obrigada Will! 

                  Sem poder me conter eu o abraço e mais uma vez o deixo confuso, porém rindo. Eu saio da sala e corro pra contar a Lena. Neste momento já não posso me conter e acabo pulando quando a encontro e aposto que meu sorriso se encontra de orelha à orelha.

- Consegui o emprego! -abraço ela.
- Eu sabia que você ia conseguir! O Will te adora! -ela retribui o abraço.
- Eu começo na segunda a noite. -falo.
- Você acha que Zayn vai ficar muito bravo?
- Por que todo mundo fica perguntando sobre o que Zayn vai pensar? -reviro os olhos- Alôo, estamos falando de mim!
- Desculpa, foi só uma pergunta. Mas então? Você acha que ele vai?
- Sim, eu acho que sim. -respondo sinceramente- Vou pra casa agora e vou ligar pra ele.
- Boa sorte. -ela deseja.
- Obrigada.

                 Decido ir embora a pé. O prédio não é muito longe, só umas quatro quadras à frente e outra à direita. É certo que as quadras de Londres são bem compridas, mas sempre gostei de caminhar e sentir a brisa fria da noite soprar em meu rosto. Atravesso várias pessoas de diferentes tipos e isso me faz raciocinar em o quanto cada um de nós pode ser diferente. 

                 Assim que abro a porta do apê, vejo que está vazio. Vou direto para o meu quarto e decido tomar um banho antes de ligar para Zayn. A água desce quente sobre meu corpo e meus pelos se arrepiam. Deixo que meu cabelo encharque e assim que minha mente esvazia, começo a pensar no real motivo de estar aqui e meu coração dá um salto. O que estou fazendo? Desligo o chuveiro rapidamente, me enrolo na toalha de banho e saio em direção à minha mala que ainda não está completamente desfeita. Abro meu calendário e conto os dias. Só me restam dois meses e 21 dias até o prazo acabar. O que eu vou fazer? Não estou nem perto de encontrar o que a bruxa me pediu e nem sei se quero encontrar. Não quero ir embora daqui, não quero voltar pro passado nem que isso signifique me casar com um duque. Quero ficar aqui. Quero ficar com Zayn e meus amigos e quero construir uma vida aqui. Então tecnicamente estou fazendo a coisa certa, não? Eu só voltaria pra "casa" e me casaria com algum rico aristocrático se concluísse a minha missão. O que significa que se eu não concluir, ficarei aqui pra sempre, o que a bruxa deve achar ser um ótimo castigo, mas que pra mim é o céu!

                 Então estava decidido! Eu não faria mais nada pra encontrar o que a bruxa queria, não que eu estivesse fazendo algo sobre isso durante todo esse tempo, mas agora eu havia oficialmente desistido dessa missão. E pra comemorar que eu ficaria aqui até o fim dos meus dias, troquei de roupa e liguei para Zayn, que me atendeu no primeiro toque.

- Nossa, parece que estava esperando a minha ligação! -brinco sorrindo.
- Sempre estou esperando sua ligação. -ele fala.
- E então? Como estão as coisas aí? -pergunto. 
- Estão caminhando para o sucesso.
- Você já é um sucesso. -falo.
- Só diz isso porque é minha amiga. -ele faz manha.
- Como ousa pensar isso de mim Sr. Malik? -pergunto fingindo indignação.
- Perdoe o meu erro Srta. Galle. Poderia eu então perguntar como foi o seu dia?
- Pra sua informação, eu tive um dia ótimo, quase que excelente.
- E porque não foi excelente?
- Porque ainda não fiquei rica.
- Uau, então o dia realmente foi bom. O que houve?
- Bom, tirando a parte do maravilhoso encontro com Clarke, -fiz questão de mencionar- Eu consegui um emprego.
- Você conseguiu um emprego? -sua voz era um misto de surpresa e vacilação.
- Sim. Agora posso ter meu próprio dinheiro.
- E aonde é esse emprego?
- Sobre isso... -fiquei em silêncio por um minuto, eu realmente estava com medo do que ele ia pensar?
- (Seu Nome)? Você está aí?
- Sim, sim estou. E o lugar onde vou trabalhar é... No boliche. -falo de uma vez.
- Você o quê? -a voz de Zayn subiu alguns tons e eu me arrependi de ter falado.
- É exatamente isso o que você ouviu. -tento parecer calma.
- Você só pode estar de brincadeira! -ele exclama.
- Não sei porque você acha isso.
- Não sabe porque? Eu já te disse mil vezes pra ficar longe do William! Mas que droga (Seu Nome)! -ele parece a ponto de explodir.
- Eu não entendo porque todo esse ódio pra cima dele! O cara nunca me fez nada de mal.
- Exatamente! Ele nunca fez nada pra você, mas isso não significa que nunca fará.
- Você está sendo ridículo. -falo.
- Pode ser que eu esteja mesmo! Só não venha chorar pra mim quando algo acontecer porque eu não vou te defender! -ele explode.
- Ótimo! -grito- Eu não preciso que você me defenda!
- Ótimo! Por que eu não vou!
- Eu não espero que vá. -abaixo o tom da minha voz- Acho que é hora de dormir.
- É eu acho que sim. -ele concorda com a voz baixa e um suspiro pesado.
- Tenha uma boa noite Zayn. -falo.
- Você também.

                     Desligo o telefone e sinto lágrimas inundarem meus olhos. Como Zayn pode ter uma mente tão fechada? Como pode implicar de tal maneira com o Will? Eu jurava que passaria a noite toda pensando nessa conversa, mas por incrível que pareça, logo peguei no sono e dormi. 

***

Espero poder postar outro capítulo até final de semana. Amo vocês lindas, obrigada pelos comentárioss. Beijos -Deh

3 de julho de 2016

♥Unknown - Cap - 21♥


Anteriormente

Concentrei-me em minha respiração e lutei para encontrar o sono e me fazer dormir. Amanhã seria um longo dia. Apesar de ser sábado, eu teria que dar conta de me arrumar belissimamente para o meu encontro não desejado e ainda aprender algumas lições com as meninas e a noite dar uma passada no boliche pra conversar com Will e ver se consigo um emprego. Quem diria que a vida aqui poderia ser tão corrida e ao mesmo tempo muito melhor do que a que eu sempre tive...

Agora
(Seu Nome) P.O.Vs

              Um novo dia estava começando e este por sinal seria turbulento. Lena e Lisa me aguardavam ansiosas com algumas dicas de como eu deveria agir no meu encontro com Clarke. Eu tentava assimilar tudo e aprender direitinho mas tinha quase certeza de que quando chegasse a hora eu faria tudo errado. Por volta do meio dia nós almoçamos e Lisa tirou uma peça de se guarda-roupas que julgou ser perfeita pra eu usar em minha tarde com Clarke. Eu coloquei a roupa e Lena se encarregou de me fazer uma maquiagem super leve para o dia. Quando elas acabaram eu me olhei no espelho e me senti linda, o que é um sentimento quase comum desde que vim pro futuro.


- E então o que achou? -Lisa pergunta.
- Eu amei! -falo animada- Obrigada meninas! -agradeço com um sorriso.
- Não foi nada. -Lena fala- Só queremos que se divirta e esqueça o Zayn pelo menos por essa tarde. Você precisa fisgar o francês pra deixar o Zayn morto de ciúmes quando voltar de viagem.
- Eu vou tentar, prometo! -falo- Apesar de achar que isso não é muito certo.
- Ai ai, os franceses sã românticos mas os ricos não são do tipo que sofrem por amor, você não vai magoar o coração dele, relaxa! -Lena diz.
- Ai ta bom. Obrigada gente. -agradeço.

              Elas me abraçam e eu ouço meu celular tocar. Na tela, o nome de Clarke aparece e eu atendo rapidamente.

- Eu estou em frente a um grande e alto prédio branco e preto cheio de vidros e ansioso pra te ver novamente. -ele fala.
- Já vou descer. -respondo com um riso.

             Desligo o telefone e as meninas me atacam.

- Ele já chegou? -Lena pergunta.
- Sim. -respondo indiferente apesar de estar impressionada também.
- Além de ser francês e rico, ainda é pontual. -Lisa se maravilha e Lena revira os olhos.
- A gente nem sabe se ele é rico, e isso também não importa meninas, foco. Não estou interessada nele. -eu falo.
- Você é muito certinha. -Lena bufa.
- Estou indo. -respondo com um sorriso e já vou saindo do apartamento.

             Assim que entro no elevador, sinto minhas mãos gelarem e o nervoso finalmente tomar conta de mim. O que eu vou fazer? Quero dizer, eu sei o que fazer, mas eu vou conseguir fazer? Não deve ser tão difícil manter uma conversa até o fim do encontro e depois corresponder a um simples beijo. Bem, talvez seja mais do que difícil pra uma iniciante como eu. Quando saí para o ar que estava quente em Londres, logo avistei Clarke parado embaixo de uma árvore olhando para o céu que estava  como uma grande mancha azul, lindo.

- Realmente é um belo dia. -falo com um sorriso enquanto me aproximo.
- Uau! -Clarke arregala os olhos.
- Que foi? -pergunto.
- Você chegando assim toda linda e de branco, parecia até um anjo. Nem o céu está tão lindo quanto você.
- Obrigada. -eu sorrio e fito meus pés, envergonhada.
- Não há de quê Mademoiselle. -ele responde e deposita um casto beijo em minha mão- Não quero que se sinta envergonhada, apesar de continuar linda com as bochechas rosadas.
- Se você continuar sendo tão... tão... Francês! Então eu vou ficar cor de rosa até o fim do encontro. -declaro sorrindo.
- Oh, prometo que serei o menos francês possível nesse encontro então. Não quero que fique o tempo todo envergonhada.
- É muita gentileza de sua parte e eu agradeço sinceramente. -tento imitar sua formalidade- E então, o que vamos fazer?
- Eu pensei em pagar aquele sorvete que estou te devendo te levando a melhor sorveteria de Londres. -ele anuncia feliz.
- E como você sabe que é a melhor sorveteria de Londres? -eu questiono.
- Não questione até experimentar. -ele fala- Você não terá duvidas após prová-lo.
- Se você diz, então vamos em frente. -falo.

                  Clarke abre a porta de seu carro pra mim, que por sinal é tão luxuoso quanto os bebês de Zayn. Bem, então ele realmente é rico. Eu deveria ficar mais nervosa com isso ou não? Ricos franceses não seria um sinônimo pra mauricinhos metidos? Eu devia acreditar nisso mas fica meio difícil quando Clarke age de maneira tão educada e doce. Clarke consegue ser tão gracioso e versátil até mesmo para dirigir. O carro permanece silencioso, eu deveria falar alguma coisa? Mas o quê?

- Belo carro. -falo.
- Essa coisinha aqui? -ele tenta ser modesto- É só mais um dos brinquedinhos que eu tenho.
- Hum. -o que eu deveria falar?
- E então, por que não me fala sobre você?
- Ham... Acho que não tenho muito pra falar, eu tenho uma vida bem normal. -minto- E você?
- Acho que a minha vida não é tão normal assim. Eu gosto de viajar. Passei os últimos anos viajando e conhecendo o globo. Daqui algum tempo não poderei mais fazer isso.
- Por que não? -pergunto curiosa.
- Eu vou ter algumas... Responsabilidades a cumprir. Então não poderei mais fazer o que gosto.
- Isso é... Um pouco triste.
- É eu diria que sim, mas não posso mudar quem sou. -ele admite em voz baixa.
- E quem você é exatamente? -pergunto.

                Clarke apenas sorri para mim e desconversa começando a falar sobre meus sabores preferidos de sorvete. Ele admite que só gosta de chocolate e eu fico revoltada.

- Você não pode gostar apenas de um sabor de sorvete! -declaro.
- Por que não? -ele pergunta confuso.
- Ora! Porque não pode! Isso vai totalmente contra as leis do universo! 
- Que universo é esse? -ele pergunta sorrindo.
- O universo que te dá diversas opções de sabor de sorvete e diz que você não pode escolher só um pra gostar!
- Uau! -ele exclama rindo- Você leva o sorvete realmente a sério.
- Mas é claro! Quantos sabores você já experimentou?
- Acho que três. -ele responde pensativo.
- Então como sabe que só gosta de um?
- Sabendo! Eu não gosto dos outros.
- Eu estou inconformada! -declaro.
- Então que tal uma aposta? -ele pergunta.
- Que tipo de aposta? -retruco.
- Se você encontrar um sabor que eu goste que não seja chocolate, eu te pago um ano de sorvete.
- Mas e se você ganhar? -pergunto.
- Se eu ganhar, quero ter a honra de te levar como acompanhante a um baile de caridade dado por minha mãe...
- Isso é moleza! Não é ruim pra mim de forma alguma...
- Na França. -acrescenta.
- Oh. -espanto-me.
- Eu já esperava essa reação. -ele admite.
- Por que eu? -pergunto.
- Por que você é exatamente o tipo de garota que eles odiariam!
- O quê?!
- Você é linda, porém, está fora do padrão de beleza deles, você fala o que pensa e todos os seus sentimentos são aparentes em seu rosto. Resumindo: você é transparente. É exatamente o que pais extremamente autocráticos não querem para o seu filho mais velho.
- Espera aí, então quer dizer que você armou tudo isso só pra me levar a esse baile e irritar seus pais? -pergunto incrédula.
- Tecnicamente sim. -ele responde sincero.

                Eu deveria ficar extremamente brava ou extremamente lisonjeada, mas tudo o que consegui fazer foi rir. E muito! A situação era bem engraçada e quando olhei pra expressão confusa de Clarke, que provavelmente estava me achando doida, eu só pude rir ainda mais.

- Do que você está rindo? -ele pergunta quase rindo também.
- Acontece que... -eu tento respirar- Nós somos dois idiotas.
- Como assim? -ele pergunta.
- Eu vim a esse encontro não porque me interessei por você, mas porque queria te usar pra deixar um cara com ciúmes, e aí você acaba de admitir que só me chamou exatamente pelo mesmo motivo: me usar! -eu sorrio.
- Hey! Como assim -ele ri- Quer dizer que meus esforços como francês não te encantaram em nada?
- Não, desculpa. -eu solto uma gargalhada.
- Você é pior do que eu imaginava! -ele declara rindo comigo.
- Ora, é uma honra que você se sinta assim sobre mim. -sorrio- E então você está me dizendo que não é francês?
- Eu não disse isso! -ele ri.
- Mas deixou no ar. -contra-ataco.
- Tá legal, eu não sou francês. -ele admite.
- Mas é rico? -questiono.
- Você não faz ideia! -afirma.
- Não acredito que isso está acontecendo. -comento.
- Nem eu, realmente é divertido. -ele concorda.
- O que vamos fazer então? -pergunto.
- Bem, acho que deveríamos continuar com a aposta e ir tomar sorvete. Mas se você ganhar tem que prometer que ainda vai ao baile de caridade comigo.
- Por mim tudo bem, eu prometo! -o que eu tinha a perder?

                   A tarde com Clarke foi melhor do que eu pensei que seria. Nos divertimos muito e eu acabei por ganhar a aposta quando o fiz experimentar o sorvete de flocos. Ele ficou tão animado com o novo sabor que mandou entregar um quilo em seu apartamento. Acabamos por nos dar tão bem que eu tive a certeza de que seríamos muito amigos. Estava combinado! Eu o ajudaria com os pais, e ele me ajudaria com Zayn, fim de papo!

Oi lindas, consegui postar mais um pra vocês. Espero que gostem e obrigada pelos comentários, fico feliz que ainda gostem da fic. Beijos -Deh 

♥Unknown - Cap - 20♥ + desculpas

   

Antes

E pela primeira vez em dois dias eu começo a rir. Rir de verdade. Acho que essa semana na companhia de Lisa e Lena será muito divertida! E talvez algumas coisas interessantes também aconteçam.

Agora

(Seu Nome) P.O.Vs
  
               Naquele dia não fizemos nada. Lisa e Lena pediram folga em seus respectivos empregos e eu já não tinha nada mesmo pra fazer então não precisei cancelar nada. E como vocês podem ver, restou vários nadas...

- Finalmente um dia de folga! -Lena exclamou.
- Nem me fale! -concordou Lisa.
- Não entendo vocês. -falo- Eu queria ter um emprego.
- Queria? -Lisa pergunta.
- Muito! -respondo.
- Você pode trabalhar no boliche. -Lena fala despreocupada.
- Você acha mesmo? -pergunto um pouco eufórica demais.
- Tenho quase certeza. Uma das meninas ficou grávida e se mudou pro Texas com o pai da criança. Will ainda não contratou ninguém no lugar dela então creio que você poderia trabalhar lá.
- Mas eu não tenho qualificações, nem experiências nem nada. -explico.
- Não é preciso muita experiência pra servir mesas. -ela fala sarcasticamente.
- Então eu posso mesmo? -pergunto mais animada que tudo.
- Bem, primeiro temos que falar com Will, mas acho que ele é o menor dos seus problemas.
- Como assim? -questiono.
- Esqueça (Seu Nome) bobinha. -ela fala com um sorrisinho.

[...]

Naquela noite...

             Por volta das 19:00hrs, tomei um banho e levei meu fofinho pra passear. Zayn e eu o nomeamos de Brownie. Eu sei, é um nome incomum pra um cachorrinho, mas chegamos ao acordo de que seria perfeito pra ele. Caminhei pela calçada da pracinha com os fones no ouvido e a coleira de Brownie em mãos, estava uma noite quente, o que também é incomum por aqui, então aproveitei essa dádiva da natureza e comprei um sorvete pra me refrescar. Sentei-me num banquinho de madeira e amarrei a coleira de Brownie numa árvore. Eu me deliciei com duas bolas de baunilha e pedi um cascão pra viagem. Quando me levantei para ir embora, fui surpreendida por um skatista que se desequilibrou e caiu em cima de mim.

- Hey! -reclamei quando vi minha blusa nova coberta de sorvete.

                O garoto de cabelos longos e loiros se recompôs rapidamente e prostrou-se de pé à minha frente com o rosto contorcido, de dor ou preocupação eu não saberia dizer.

- Mil perdões bela moça! Não faço ideia de como isso aconteceu! -ele parecia realmente confuso.
- Percebi. -falei tentando em vão limpar a minha blusa.
- Eu insisto em lhe comprar outra blusa! -ele balbucia- Ou outro sorvete. -acrescenta em tom brincalhão.
- Não não, está tudo bem. Não foi nada. -eu falo me distanciando pra pegar Brownie.
- Eu realmente insisto! -ele fala me seguindo de perto.
- Esse sotaque e essa educação são de onde? -pergunto me virando para encará-lo.
- Sou francês. -ele fala engrossando a voz.
- Ah, então está explicado! -falo- Sendo assim, -sorrio- Eu deixo que me compre outra blusa e outro sorvete. Até porque sei que você vai continuar insistindo.
- Vou mesmo! -ele concorda sorrindo também.

[...]

             Adentrei o apartamento mais tarde do que gostaria e o meu coração batia forte no peito. Onde é que eu estava com a cabeça? Eu nem sei fazer isso! Lisa e Lena estavam deitadas no sofá comendo pizza e me fitaram curiosas.

- Onde você estava? Ligamos no seu celular pra você vir comer com a gente mas você não atender. -Lisa diz.
- Sim. -Lena concorda- E já pode explicar porque está com essa cara de assustada também.
- Preciso da ajuda de vocês! -falo depressa.
- O que foi que aconteceu doida? -Lisa pergunta.
- Meninas. -começo respirando fundo- Como é que eu devo agir e me vestir para um encontro?
- Você tem um encontro? -Lena arregala os olhos.
- Eu sei isso é horrível! -falo nervosa- Eu só não sabia como negar e ele era tão bonito! 
- Quem é ele? -Lisa pergunta.
- É um rapaz francês que eu conheci, Clarke. -responde.
- Francês? -Lena fica toda animada.
- Já sei! -exclamo- Lisa pode ligar pra ele e dizer que eu tive que viajar pra... Patagônia! Isso! E aí fala que eu não posso mais ir ao encontro.
- Você ficou maluca? -Lena pergunta- Ninguém cancela um encontro desses com um francês! Ele com certeza é rico! Você vai e ponto!
- Mas eu nunca fui a um encontro assim, eu não sei o que fazer!
- Meu bem, você está falando com a especialista em encontros! -Lisa fala.
- Diz isso porque trocava de namorado como se troca de roupa. -Lena revira os olhos.

                 Lisa mostrou dedo pra Lena e se dirigiu a mim novamente com um sorriso no rosto.

- Não precisa ficar nervosa, no fim você vai ver que foi uma grande bobagem ficar assim. 
- Mesmo? -questiono.
- É claro! Vocês vão comer alguma coisa, vão conversar um pouco e depois ele vai tentar te beijar... Oh! Coquinhos! Eu me esqueci completamente!
- Do quê? -pergunto.
- Que você nunca beijou! Pensando bem, é melhor que você não vá mesmo, se não estiver preparada.
- A (Seu Nome) nunca beijou mesmo? -Lena pergunta.
- Não. -Lisa afirma.
- Sobre isso... -começo e mordo os lábios envergonhada.
- Que olhar é esse (Seu Nome)? -Lisa pergunta- Não vai me dizer que você já...?
- Sim. -eu afirmo com a cabeça.
- Quando? -ela pergunta.
- Onde? -Lena completa.
- E com quem? -Lisa acrescenta.
- Bem... -começo- É uma história bem engraçada se vocês forem parar pra pensar...
- Fala logo! -Lisa exclama.
- Ai ta bom! Foi com o Zayn, quando fomos pra fazenda da família dele.
- O QUÊ? -as duas gritam.
- Não gritem! -peço.
- Desculpa -respondem as duas.
- É só que... o Zayn? Como é que o clima não ficou estranho depois disso? -Lisa pergunta.
- Eu realmente não quero falar sobre isso. -digo.
- Ah mas você vai falar sim! Por quê não contou antes? -Lena interroga.
- Não pensei que fosse importante. -falo
- Mas é claro que é. Somos cúmplices, precisamos saber tudo uma da outra! -Lisa fala.
- Desculpa gente. -peço- Não sabia que era importante pra vocês.
- É o seu primeiro beijo (Seu Nome), claro que é importante! -Lena.
- Ta ta, mas enfim, foi bom -Lisa pergunta.
- Foi perfeito. -respondo sorrindo ao me lembrar.
- Oh, que droga! -Lena choraminga-
- Isso não é nada bom. -Lisa fala para a irmã.
- Eu sei, é péssimo. -Lena concorda.
- Como assim? Do que vocês estão falando? -pergunto.
- Desse olhar aí no seu rosto. Tá na cara que está apaixonada e isso é péssimo! - Lisa fala.
- O quê? Não estou não! -nego e contenho meu sorriso ao me lembrar de Zayn.
- Você tá sim! -Lena teima.
- Isso não importa tá legal? O Zayn não quer nada comigo então deixa pra lá.
- Olha, -Lena começa- Se eu não fosse sua amiga, diria pra você conquistar ele com seu charme e beleza. Mas eu não quero isso pra você. Sabe quantas namoradas o Zayn teve nesse tempo que estou com o Harry? Três! Você é doce e meiga e linda! -ela sorri- O Zayn não é homem suficiente pra você.

                Por algum motivo essas palavras invadiram o meu peito como se fossem lâminas afiadas. Eu sabia que o Zayn tinha essa fama mas me negava a aceitar. Me negava a aceitar que aquele cara que era tão doce e fofo comigo, já tinha magoado o coração de várias outras garotas. Lena deve ter percebido o meu olhar desfalecer porque falou:

- A questão é: você está ou não apaixonada por ele? E seja sincera.
- Estou. -respondo com um suspiro.
- E você estaria disposta a conquistá-lo mesmo sabendo que depois poderia acabar ferida?

                 Essa era uma grande questão. Eu estaria disposta a sofrer por Zayn só pra ter algum tempo da paixão dele? E mesmo que eu estivesse disposta e conseguisse, quanto tempo tempo isso duraria até que eu tivesse que ir embora pro meu real mundo? Eu estaria disposta a correr tantos riscos só pra ter um pouco do prazer de estar com Zayn como algo a mais que um amigo? ...Sim, eu diria que sim. Estaria disposta a qualquer coisa.

-Sim. -respondo decidida- Sim eu estaria.
- Bem... -Lisa se levanta com um suspiro- Então acho que não tem discussão, vamos te ajudar a conquistá-lo.
- Como? -pergunto curiosa.
- Você vai ver. -ela responde- Começaremos amanhã de manhã com as lições.
- Então eu devo ligar e cancelar o meu encontro? -pergunto.
- Óbvio que não bobinha. -Lena responde- Pra impressionar um homem tem que fazer com que ele veja que não tem só ele na jogada. Ele precisa ver que se ele não te quiser tem outros esperando a oportunidade de tê-la.
- Ah entendi. -afirmo.
- Precisamos agir rápido, hoje mesmo você ligará para Zayn como sempre faz, mas dessa vez irá mencionar o encontro de amanhã. -Lena ordena.
- Você tem certeza? -pergunto- Porque eu acho que...
- Não meu benzinho, não importa o que você acha, você vai fazer isso e pronto.
- Haam... Tudo bem. -concordo sem mais questionamentos.
[...]
      
            Mais tarde naquela noite, deitei-me na cama do meu novo quarto e liguei para Zayn. Ele me atendeu no segundo toque e parecia feliz em ouvir minha voz.

- Você parece feliz. -falo animada.
- E estou. -ele confirma- As coisas estão caminhando bem então com chegaremos para o natal.
- Isso é ótimo Zayn! É maravilhoso!
- É sim, e eu estava pensando que você gostaria de ir comigo pra casa dos meus pais novamente.
- Eu... É isso seria ótimo. Perfeito.
- Que bom. -sinto seu sorriso do outro lado da linha- E você como está? -ele pergunta.
- Eu estou ótima. -respondo- Já sinto saudades. 
- Eu também. -ele diz- Falta de ver um bom filme ao seu lado. -acrescenta.
- É... -concordo sem ter o que dizer.
- E então? Novidades? -ele pergunta e eu sei que essa é a minha chance.
- Na verdade, eu tenho sim. -respondo.
- Mesmo? E qual é? -ele pergunta- Só não vai me dizer que Lena cortou o seu cabelo! -ele ri.
- Ah você estragou a surpresa! -reclamo brincalhona.
- Nem brinque com isso. -ele ri, mas sei que falou sério.
- Não é nada disso. -sorrio.
- Então o que é? -ele pergunta.
- Eu vou ter um encontro amanhã. -solto de uma vez.
- Um encontro? -ele pergunta como se não acreditasse.
- Sim. -afirmo.

                  A linha fica muda por uns segundos e eu mordo o lábio na expectativa de sua resposta. Quando ele finalmente responde, sua voz é baixa e falha.

- Isso é... Isso é ótimo (Seu Nome).
- Mesmo? -pergunto e minha voz soa desanimada até pra mim.
- Sim. -sua voz é firme dessa vez- Quero dizer, encontros são legais. 
- É, acho que sim.
- Quem é o cara? -ele pergunta mas parece relutante.
- O nome dele é Clarke. -falo- É francês! -acrescento rapidamente.
- Francês hein? Temo que não faça muito o seu tipo.
- Você não sabe qual é o meu tipo Zayn. -falo um tanto agressiva e decepcionada.
- Desculpa, eu não quis te deixar brava, foi só um comentário...
- Não, esquece. -falo e respiro fundo- Eu me equivoquei, não sei o que deu em mim.
- O que você acha de mudarmos de assunto -ele pergunta.
- Isso seria ótimo, mas estou com sono Zayn. Vou dormir. -anuncio.
- Mas eu pensei que íamos conversar mais um pouco.
- Pois é mas estou cansada, foi um longo dia e eu preciso ir. Boa noite Zayn.

                 Eu não esperei o boa noite dele, apenas desliguei o celular e enfiei a cabeça embaixo do travesseiro. O que raios está acontecendo comigo?! Eu sentia que queria gritar! E chorar! E gritar de novo! E depois eu poderia até rir por ser a pessoa mais ridícula do mundo. Mas nada disso adiantaria e nada disso resolveria o meu problema com Zayn. Se é que nós temos um problema porque provavelmente nós não temos nada e muito menos um problema. Na verdade, o único problema aqui sou eu, (Seu Nome) a idiota, a problemática!

             Concentrei-me em minha respiração e lutei para encontrar o sono e me fazer dormir. Amanhã seria um longo dia. Apesar de ser sábado, eu teria que dar conta de me arrumar belissimamente para o meu encontro não desejado e ainda aprender algumas lições com as meninas e a noite dar uma passada no boliche pra conversar com Will e ver se consigo um emprego. Quem diria que a vida aqui poderia ser tão corrida e ao mesmo tempo muito melhor do que a que eu sempre tive...

Hey, será que ainda tem alguém aí? Do fundo do coração queria pedir minhas sinceras desculpas, nunca fiquei tanto tempo assim sem postar e não espero que me respondam, vou terminar a fic mesmo que não tenham mais leitoras porque é uma obrigação minha de terminar o que comecei. Eu não imaginava que esse ano seria tão corrido e estressante, a pressão de todos os lados para passar no enem tendo que estudar o dia todo, das sete às cinco e vinte e cinco da tarde é MUITO ruim. Espero que todo esse esforço valha a pena porque está tirando de mim uma das coisas que eu mais gosto de fazer que é escrever e ver que vocês estão gostando. Enfim, não vou delongar isso aqui mais do que já fiz. Não sei quando voltarei com outro capítulo, mas voltarei. Beijos -Deh ♥